Apimente

Vista como você é, dicas práticas pra aprimorar seu estilo

Algo que sempre pregamos como consultoras de moda é que as pessoas vejam a moda de uma forma correta. Não como um conjunto de regras, não como imposição de padrões, não como uma série de tendências obrigatórias e sem sentido. Ao contrário, a relação com a moda precisa ser leve, divertida, prazerosa – e a roupa ser usada como uma extensão da nossa alma, do nosso coração, de quem somos e de quem queremos ser.

A moda é, sim, uma ferramenta de autoestima, e quem sabe você aproveita este período menos acelerado para se autoconhecer, investigando gostos, desejos e vontades para aprimorar seu estilo e tornar o ato de vestir algo totalmente singular, totalmente seu e muito feliz. A gente dá algumas dicas. Vem!

Olha seu closet. Sim. Tire suas roupas todas, todas. Deixe em cima da cama, da cadeira, do sofá. Não importa. O importante é visualizar.

Tire o que você não usa. Separe as que você, de imediato, não gosta, não usa há anos, as que não têm mais sentido para você. Doe, venda, dê para alguma amiga. Se uma peça não te diz nada não tem porque você mantê-la.

Observe os que as peças que você eliminou têm em comum. Modelagem, cores, estampas, estilo, detalhes, decotes, aplicações, tecidos. Avalie os motivos que fazem você não curtir aquelas roupas. Saiba que o que a gente não gosta diz muito sobre o que a gente gosta de verdade, sobre quem a gente é, viu? Analise, estude, anote. Faça até uma lista dessas observações. Escrever é excelente para memorizar – e importante para não voltar a cometer os mesmos erros em compras futuras.

Separe as peças que você mais usa e faça o mesmo raio-x, ou seja, pense, analise, descubra o que faz você gostar muita daquela roupa. Por exemplo, é a cor, o caimento, o toque do tecido. Você precisa saber disso para repetir os acertos, aprimorando suas compras futuras, tornando o seu consumo mais consciente e seu estilo, harmônico. Defina também o estilo dessas peças. Se são mais minimalistas, clássicas, fashionistas, boêmias, românticas, esportivas. Avalie o tipo de peça, se vestido, calça, camisa. Pense nisso tudo porque isso vai dizer quem você é. Por exemplo, se suas peças favoritas têm cores neutras, são justas no corpo, tem poucos detalhes, há mais vestidos do que calças, todos em tecidos mais estruturados. O que isso pode dizer? Que você é uma mulher elegante, bastante feminina, que gosta de um toque de sensualidade o em seu visual, porém sem chamar muito atenção. Tente se traduzir no vestir.

Pegue as peças que você curte muito e faça novas combinações com ela, misturas que você nunca, nunca usou, teste, prove, elabore diferente. Cada peça, três visuais únicos. Esse ensaio é primordial para você aprimorar sua forma de vestir, diversificando o estilo sem perder a essência.

Arrume o closet da forma que as peças favoritas fiquem sempre mais a frente nas seções que você vai criar (calças, vestidos, casacos). Ou seja, em cada ala, deixe os preferidos à frente. A gente deu uma matéria bem bacana de como organizar o closet. Confira aqui.

Você tem algum desejo de moda? De usar algo que nunca se tornou um hábito cotidiano? Por exemplo, mesclas de estampas, short com blazer, peça esportiva com alfaiataria, cores contrastantes no mesmo look. Faça agora. Sim. É a hora de provar. Saiba que, muitas vezes, algo que provoca estranhamento no princípio acaba tornando-se natural depois de algum tempo de uso. E quer melhor do que agora para fazer este experimento? Quem sabe você não descobre um efeito perfeito para incrementar seu estilo.

Faça uma listinha de peças, acessórios, sapatos que você sente falta, de essenciais que tornariam seu closet mais equilibrado. O cinto preto básico, a calça preta de alfaiataria, a camisa branca, o vestidinho que vai com tudo. Enfim… Escreva, e deixe a listinha sempre à mão para compras futuras, já que muitas vezes costumamos esquecer na hora de itens que nos fazem falta na hora de comprar.

Deixe uma resposta