Amaro estreia guide shop em POA

Uma startup de moda pra lá de bem sucedida. A marca digital de moda que mais cresce no Brasil e provoca arrepios na concorrência convencional. Uma grife desejo para quem tem um olho nas tendências e outro no orçamento. Um case inspirador para quem busca entender como criar um estilo ímpar cruzando tendências e estatísticas. A Amaro acumula definições, conceitos e inspirações em um universo de moda digital que muda tão rápido quanto este e-commerce, atualizado com mais de 100 produtos por semana – são impressionantes 10 mil modelos por ano.

Depósito de tecidos na fábrica da Amaro, em SP/Foto Giselle Galvão/Divulgação

Atenta a estreitar laços com a consumidora, a Amaro estreia seu 13º guide shop, experiência física para quem quer provar a moda da grife, e escolheu Porto Alegre como cenário. Agendem: dia 23 o guide shop estará aberto no Iguatemi POA – e por lá você pode provar a roupa que vê na web, finalizando a compra virtualmente e recebendo o produto em casa. E nossa diretora de conteúdo, Pati Pontalti, foi convidada a conhecer a fábrica, o Centro de Distribuição, um guide shop e o escritório da Amaro, em São Paulo, para entender melhor como funciona este selo há seis anos no mercado e já com mais de 400 funcionários.

Dominique Oliver, o CEO da Amaro, contou para a Pati Pontalti uma peça da Amaro leva 19 dias para chegar ao consumidor a partir do desenho, um processo extremamente rápido/Foto Giselle Galvão/Divulgação

Pati nos conta um pouquinho sobre esta uma empresa de moda inteligente, que simplifica a cadeia tradicional, o que agiliza a produção, minimiza impactos ambientes e permite um preço combativo nas etiquetas. “Nosso produto sai do desenho à cliente em 19 dias”, cita Dominique Oliver, CEO da Amaro, que conversou com a Pati em SP. “Nossa marca tem uma conexão emocional, não vendemos apenas produtos. Temos uma comunicação fresh, mais friendly, e buscamos nos posicionar para tornar melhor a vida da nossa consumidora”, observa Dominique, o que pode ser comprovado por qualquer cliente que já navegou pela marca, sempre em harmonia com desejos, linguagens, conceitos que fazem parte do repertório feminino – e também feminista (gracias).  A Amaro adota o vocabulário da mulher do agora, dona de si, de seu corpo, de suas ideias, de seu movimento.

Todas as peças com assinatura da Amaro são finalizadas e revisadas na fábrica em SP/Giselle Galvão/Divulgação

E este gosto por atender – e entender – bem começa na própria fábrica, que funciona junto ao Centro de Distribuição. Por lá, uma equipe que trabalha com olhinhos brilhando (sério, todo mundo parece muito feliz) transforma os desenhos criados pela equipe de estilo em peças-piloto 3D, modela, corta em uma moderna máquina que evita desperdícios – e as poucas sobras de tecido são reaproveitadas em acessórios e detalhes de outras peças -, encaminha para terceirizados o que for necessário e depois finaliza todos os produtos – inclusive o que são produzidos por fornecedores -, testa a qualidade, passa, fotografa, filma, empacota e envia – ufa! Sim. A equipe da fábrica, que também produz cerca de 40% de todas as peças da grife, faz tudo, sempre com muito cuidado e de olho em processos que possam minimizar impactos ambientes, em um programa chamado Cares (leiam mais aqui sobre o programa).

Guide shop de SP muito semelhante ao projeto que será inaugurado em POA no dia 23, o maior de todos os 13 da marca/Foto Giselle Galvão/Divulgação

Realmente, é impressionante observar a agilidade e a simplificação de processos. Por exemplo, ao invés de ter um estúdio que fotografe e filme os produtos, que precisariam ser transportados até o endereço, tudo funciona na própria fábrica, com uma equipe afinada com toda a produção. E as fotos chegam ao site praticamente no mesmo instante do clique. E isso é apenas uma amostrinha fácil para compreender, para visualizar. Imaginem que há uma busca constante para melhorar cada etapa, do desenho à distribuição, afinal, a famosa análise de dados da Amaro não diz respeito apenas ao produto final, mas, sim, a todo o processo, o que vem criando uma forma própria, uma fórmula Amaro, também em conceitos fabris.

Espaço onde as peças são finalizadas, revisadas e pessadas na fábrica de SP/Foto Giselle Galvão/Divulgação

E no escritório não é diferente: marketing, cientistas de dados, analistas de redes sociais, equipe de estilo, ilustradores, designers, tudo e todos estão sincronizados em dois andares de um belo prédio na Avenida Paulista. O departamento de produto, que conta com cerca de 25 pessoas, é quem pesquisa, cria estampas, desenha, traduz tendências, estuda modelagens e também observa a consumidora com atenção em cada detalhe. A gerente de estilo, Ju Zampini, conta, por exemplo, que uma coleção foi criada para a mulher gaúcha baseada em uma pesquisa realizada por QRCode – a cliente passava em frente ao tapume do guide shop no Iguatemi POA, lia o código e respondia a um questionário, que foi compilado e entrelaçado com tendências da estação. O resultado são peças, lançadas em primeira mão na capital gaúcha, que trazem a sofisticação e o glamour que ficaram evidentes nas escolhas porto-alegrenses, uma mistura fina de anos 90 com alfaiataria. “A gaúcha gosta de parecer arrumada e está por dentro das tendências”, reafirma Ju.

Pati Pontalti provando os óculos da coleção Amaro no guide shop/Foto Giselle Galvão/Divulgação

O departamento de produto também atua juntinho aos analistas de dados, que observam cada compra com afinco. Por exemplo, cruzam a saia preferida com o tecido preferido da consumidora, apontando para o desenvolvimento de uma nova peça. E assim o marketing também, o design também,  o atendimento ao cliente também, a comunicação também, em uma harmonia que pode ser uma das grandes responsáveis pelo sucesso da Amaro. “90% da Amaro são pessoas”, comunica Dominique, o que fica evidente pra qualquer um que tenha a oportunidade de visitar esta marca digital, que trata bem não apenas sua cliente, mas também sua equipe.

Na Amaro, tudo é interligado, não apenas para quem compra, que pode trocar em casa ou deixar no guide, pedir para entregar em casa ou em algum guide do Brasil, falar por telefone com seu cadastro sempre atualizado, em um sistema totalmente omni channel, mas também para quem faz parte da empresa. Um pensamento tão do hoje pode ser traduzido em uma das declarações de Dominique: “Amaro concorre muito mais com o uber, com a Netflix, onde as pessoas gastam tempo e não apenas dinheiro.”

Pelo visto, tem cada vez mais mulheres gastando seu tempo – e seu cartão de crédito – com esta grife tão contemporânea que também está nas vitrines da Oi Pati. Bem-vinda a POA, Amaro!

Veja outras dicas abaixo